quinta-feira, 11 de abril de 2013

Antes de sexta

Acorda um pouco mais tarde do que o costume. Não muito, mas o suficiente para a chuva que bate na janela ter menos força para o manter na cama. Toma um duche e sai de casa sem comer, directo para o trabalho. Não o local de trabalho do costume. Outro. O local antigo, o das memórias, aquela espécie de cordão umbilical. 
Não gosta de falar ao telefone, no entanto foi obrigado a estar meia hora a ouvir música foleira e a ver a sua chamada passada de pessoa em pessoa, de anónimos mal encarados, a uma Rita simpática e a uma Mónica com a voz estranha. Não gosta de falar ao telefone mas viu o seu saldo a sumir-se do telemóvel.
Chove torrencialmente. É a melhor altura de sair de um local de trabalho para ir para outro. O novo, o do crescimento, o do sucesso frustrado. Como é óbvio, o carro está estacionado bem longe e guarda-chuva é algo que não consta do seu dicionário... nem do seu inventário.
Sentado numa das cadeiras do bar do rés-do-chão do hospital, acompanha-se de um panike de chocolate e um chá de menta. Na mesa do canto, uma enfermeira exibe às suas companheiras uma fotografia no seu telemóvel.Ou é um cão, ou uma criança. Ele não consegue decifrar.
Uma idosa ri-se com um ar sinistro para o segurança, um homem está de pé ao balcão a coçar o que é um volume exagerado nas suas calças, outro atravessa o átrio com um saco cheio de batatas e segue para a zona de entrada das visitas. Um médico deixa cair o estetoscópio que trás ao pescoço e quase o pisa, a médica que o acompanha solta um guincho.
No laboratório, Pink Floyd toca acima do barulho das máquinas avariadas, risadas histéricas e cochichos de conspiração. Ele pega nos frascos cheios de escarros e começa mais uma sessão de trabalho.

Como diria o Bruno Nogueira, o mundo é bué cenas.

10 comentários:

  1. ai... nunca fui tão feliz como quando analisei escarros, bostas, mijos, e outras nhanhas que tais! I wish!

    also, adorei o texto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Shiiiiiiiiiiiiiii! Há quanto tempo!!!!

      Vivam as escarradelas!
      E obrigado pela visita! Espero que esteja tudo bem contigo!

      Pontos de exclamação!

      Eliminar
    2. devo informar-te de que sou uma poderosa stalker! não costumo comentar mas leio tudo religiosamente no meu feedly :DD

      pontos de exclamação!!!

      Eliminar
    3. Trininini trininini trininini... Logo tu, que és toda uma personagem com ar assustador e maligno! :P
      Mas andas blogamente calada mesmo no teu espaço... :(

      Eliminar
    4. true that, true that... sumiu-se a vontade de escrever. mas não a de ler :D

      quanto ao meu ar assustador e maligno: talvez um dia consiga!!

      Eliminar
    5. Tens que voltar!

      Quanto ao ar assustador e maligno: com força de vontade e um olhar penetrante, tudo se consegue! :)

      Eliminar
  2. tanta poesia num texto que fala de escarros!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É só o que te posso responder:
      http://youtu.be/iyayw6H8wAU

      Eliminar
  3. Muito bem escrito! Adorei os pormenores, e de como um texto cheio de banalidades pode ser tão interessante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela tua apreciação, Laura Santos! :)

      Eliminar

Aceitam-se pires de amendoins.