quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Lá fora

Na minha adolescência, ter um amigo a estudar no estrangeiro dava uma espécie de orgulho na terceira pessoa. Afinal, conhecíamos alguém além fronteiras, a falar outra língua, a viver outra cultura. Distante. Raros contactos por uma ou outra carta ou email. O seu regresso em tempo de férias era sempre O evento. Parava meia escola, se fosse preciso, e o fim-de-semana era só nosso.
Hoje, mais perto dos trinta do que dos vinte, metade das pessoas com quem nos damos está fora, falamos com elas quase todos os dias. A outra metade está a pensar em ir para fora ou, pelo menos, não nega essa possibilidade. Os regressos são para um jantar e um copo. A felicidade é grande mas...

...sem stress, que daqui a umas semanas somos nós que lá vamos, para um jantar e um copo mais caros.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Talões

Vivemos numa era em que os emails têm frases que alertam as pessoas para a sustentabilidade ambiental e aconselham à não impressão dos mesmos.
Ao mesmo tempo, um talão de supermercado da compra de uma peça de fruta e uma caixa de chiclets tem três metros e ainda traz anexos.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Pequeno diário 110

O cabelo branco que estava do lado esquerdo da cabeça passou para o lado direito.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

O cheirinho a roupa lavada

Há questões que me afectam a vida, a alma, o entendimento do universo.

Porque é que detergentes e amaciadores para a roupa da mesma marca não são vendidos com as mesmas essências?
Faz algum sentido eu querer lavar a roupa com sabão natural de rosas e depois amaciá-la com pinheiro spa selvagem? Porque é que insistem em obrigar as pessoas a fazer uma mistela de cheiros? 

Se a ideia é puxar pela criatividade e levar os clientes a criarem os perfumes que mais gostam, então ao menos que fornecessem gratuitamente um manual com sugestões. É que eu comprei agora dois perfumes que não costumo comprar e não sei como vai cheirar a minha roupa quando a tirar da máquina!

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Txouriçossexual

À porta de uma discoteca gay, no chão, estava um chouriço.
Não percebi se era para chamar clientela, se era campanha para sexo seguro (visto que ainda estava meio na embalagem), ou se era uma macumba homofóbica (visto que estava cortado a meio).

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Castelos na areia

Nada entretém mais um macho humano na praia do que fazer uma barreira à volta do seu território para impedir os efeitos da subida da maré.
É vê-los dedicarem-se de alma e corpo, muito corpo, todo o corpo, à tarefa. Pode ser perfeitamente notório que o mar nunca sequer irá chegar ao local onde estão mas, por via das dúvidas, há que fazer a barreira na mesma, não vá o aquecimento global tecê-las.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Pequeno diário 109

O novo detergente da louça cá de casa tem aloé vera e pepino. O raio dos pratos vão ter a pele mais hidratada que eu!