quarta-feira, 15 de março de 2017

Cortes

A falta de publicações é devida ao cansaço de uma vida de rato de laboratório. Mas pronto, para os meus 2,5 seguidores assíduos, fica aqui a informação de que parti um Erlenmeyer e cortei-me nas mãos. 

Obrigado, e voltem sempre!

sexta-feira, 3 de março de 2017

Arrebentamentos

No geral, achamos que sermos arrebatados por alguém é sinal que a outra pessoa ganhou algom em relação a nós, sobre nós, acima de nós.
Mas, na realidade, tudo perde um pouco a piada quando não nos deixamos arrebatar. Perdemos nós por não sermos acessíveis ao arrebatamento, e perde a outra pessoa em relação a nós, por não conseguir deixar-nos sem palavras para responder.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Cabelices

Porque é que o meu penteado só está realmente como eu gosto ao final do dia, depois de duas trocas de roupa, algum vento e uma corrida?

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Deutsch Schäfer

Se há coisa que ninguém pode negar que Lisboa tem de bom é... a beleza dos pastores alemães que por aqui andam!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Freaky freaky

Quando os freaks deixam de ser freaks, é porque passaste a ser um deles? Ou porque reparas que afinal não existe freakness no mundo?

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Aleatoriedades da noite

Meia-noite.
No Parque Eduardo VII está alguém a tocar flauta*.
É uma música d' O Senhor dos Anéis.

*Sim, uma flauta daquelas dos putos do quinto ano.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Pequeno diário 116

Nos seus setentas, a dona do café está à porta do estabelecimento e cumprimenta quem entra. Despachada, despacha logo os cumprimentos.
"Bom dia, senhor Cassiano! Vai-se andando, muito obrigada!"

Só depois disso é que o senhor Cassiano lhe deseja os bons dias e pergunta se está tudo bem com a vida.