quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Pequeno diário 54

Não tenho problemas com portugueses que dão muita importância às eleições nos E.U.A. 
Tenho problemas com portugueses que dão muita importância às eleições nos E.U.A. e nem ligam às de cá.

16 comentários:

  1. Obrigado, Pi (permite-me que te trate por Pi... Rui não é um nome que me agrade :$), por escreveres exactamente aquilo que tenho vindo a dizer nas últimas semanas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Permito sim, são poucas as pessoas que me chamam Rui. Sim... as últimas semanas têm sido intensivas nesse assunto, mas hoje vê-se portuguesinhos da silva a festejar a vitória do Obama. Mas não vi ninguém aqui há uns tempos a festejar a vitória do Silva ou a lamentar o resultado do Alegre (e outros que tais). América é que rula.

      Eliminar
  2. Como tudo o que é americano, torna-se mass material...

    ResponderEliminar
  3. Bem eu vou ser sincera e admitir que fiquei mesmo contente pela reeleição do Obama e que até acompanhei a campanha, mas isso não faz com que deixe de olhar para o estado do nosso país e de comentar :) Primeiro está o meu país, depois os outros ( eu sou daquelas que ainda acredito no potencial do país) :D
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente, uma coisa não impede a outra. O que eu critico é gente que (quase ponho a minha mãe no fogo) nem votar vai, a publicar fotografias do Obama e a falar de 4 anos de alegria e tudo o mais, mas que passa 4 anos sem sequer falar do estado do país no geral, quanto mais da nossa política.

      Eliminar
  4. Oh.. eu estou ansiosa que o Paulo Portas queira abrir as janelas dos submarinos!
    Animava logo qualquer campanha eleitoral e os portugueses aderiam em massa às urnas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, na América tivemos um candidato a querer abrir as janelas dos aviões, também temos direito a alguém por cá a querer fazer algo do género.

      Eliminar
    2. Exactamente.. Os franceses tinham a Bruni para fazer estátuas e nós não temos ninguém. é triste!

      Eliminar
    3. A senhora Maria Cavaco Silva até tem um ar fofinho, mas não me parece statue material.

      Eliminar
  5. Como diziam os dealema numa musica bastante recheada de sentido: "Bem-vindos a Portugal Surreal".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é que é um Portugal demasiado real...

      Eliminar
  6. Respostas
    1. A gente estarmos cunequetados, minha Pulga!

      Eliminar
  7. Um post simples mas incisivo.
    Já percebi como és e gosto deste teu desafio das mentalidades.
    Mas os que não votam cá, os que não têm opinião, os que tanto lhes faz isto como aquilo, talvez se tenham desiludido com os senhores que ocuparam a política.
    A política, atividade nobre, de servir o povo, essa está um pouco de lado quando o que tem prevalecido tem sido o poderio da economia mundial.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um dos imensos problemas é que ainda se faz uma política à antiga num mundo moderno. Isto é, os países desenvolvidos já estão demasiados globalizados para o tipo de política que têm que, boas ou más, ainda são muito centradas no país.
      Isto não sou eu a dizer que a globalização é boa ou má, sou eu a dizer o que temos...

      Eliminar

Aceitam-se pires de amendoins.